raizesSegundo a definição dos dicionários, anti-semita é todo inimigo da raça judaica, de sua cultura ou de sua influência.

Trata-se de uma definição imprecisa por duas razões:

1) porque a ciência não admite hoje que as diferenças étnicas entre os seres humanos alcancem a classificação de raça; todos os homens e mulheres pertencem a uma única raça, a humana.

2) porque a religião, cultura e tradição judaicas são compartilhadas por vários grupos étnicos.

A definição contém, ainda, um terceiro erro: os ´semitas´, que segundo a Bíblia seriam os descendentes de Sem, filho de Noé, não só são apenas os judeus, mas também os povos árabes.

A palavra alemã antisemitismus´ foi usada pela primeira vez, já com seu sentido atual, pelo jornalista e agitador alemão Wilhelm Marr, que a aplicou como um eufemismo no lugar da expressão ´ódio aos judeus´. Em 1912 a Liga Pan-germânica adotou o anti-semitismo como um de seus princípios, uma decisão que constituiu o primeiro passo para a tragédia que se desencadearia sobre a Europa a partir da década de 1930.

Raízes do anti-semitismo

Muitos fatores motivaram e fomentaram o anti-semitismo, incluindo fatores sociais, econômicos, nacionais, políticos, raciais e religiosos, ou combinações destes fatores. Na Idade Média, as principais raizes do ódio irracional contra judeus foram: Religiosas, baseadas na pretensa “doutrina” da Igreja Católica de que os Judeus são coletivamente e permanentemente responsáveis pela morte de Jesus Cristo.

Socioeconômicas, devido à ação de autoridades locais, governantes, e alguns funcionários da igreja que fecharam muitas ocupações aos judeus, permitindo-lhes no entanto as atividades de coletores de impostos e emprestadores, o que sustenta as acusações de que os Judeus praticam a usura (uma prática repugnada inicialmente pela Igreja Católica e hoje aceita).

Além disso, outro fator que teve bastante influência para o ódio irracional aos judeus foi o nazismo na Alemanha.

Extraído da Wikipédia

#Compartilhar