Vamos cantar, dançar e celebrar o milagre da sobrevivência Judaica

purimNa antiga Pérsia, um judeu chamado Mordechai recusou-se a se ajoelhar diante do ministro Haman. Por este motivo, o governante decidiu aniquilar todos os judeus do reino.

No judaísmo somos proibidos de nos prostrar diante de qualquer foto, estátua ou pessoa. Devemos reverência apenas ao nosso único Deus, criador do céu e da terra.

Tenho a impressão de que a recusa de Mordechai de se curvar diante do ministro persa é ainda mais significativa. Diversas tragédias mundiais aconteceram porque populações curvaram-se aos seus líderes mesmo quando esses estavam completamente equivocados.

Catástrofes mundiais poderiam ter sido evitadas se o cidadão comum tivesse a retidão de não se curvar. Se homens e mulher houvessem conseguido permanecer em pé quando ditadores exigiam que se ajoelhassem diante deles, muitas manchas na história da humanidade poderiam ter sido evitadas.

Acredito que a lição de Purim é mais do que atual. Devemos examinar nossas consciências todas as vezes que líderes exigem nossa reverência. Quando não concordamos com determinada situação, precisamos ter a coragem de Mordechai de não se prostrar e, ao invés disto, permanecermos retos, coerentes com nossas convicções e princípios.

Todos os dias, rezamos durante as bênçãos da manhã: “Baruch zokef kefufim”, bendito seja Deus que permite que os curvados fiquem eretos. Abençoado seja o Criador do Universo que nos permite manter nossa retidão mesmo quando outros se curvam a falsas lideranças.

Que saibamos comemorar com muita alegria a Festa de Purim. E principalmente, que tenhamos a sabedoria necessária para nos mantermos coerentes com aquilo que acreditamos ser justo e correto. Que Deus conserve em nós, a benção de caminhar eretos. E que tenhamos a capacidade que teve Mordechai de nunca se ajoelhar diante daquilo que não acreditamos.

Chag Purim Sameach e Shabat Shalom.
Rabino Michel Schlesinger

Informa Imprensa Sim Israel

21/03/2011

#Compartilhar