shana-tovaNesta semana, a comunidade judaica de todo o mundo comemora o inicio do Ano Novo Judaico – o Rosh Hashaná, “a Cabeça do Ano”.

Mais do que uma simples festividade, o Rosh Hashaná é uma data sagrada, em que todos refletem sobre seus atos, renovam seu vínculo com Deus, e aguardam o julgamento divino, que será realizado pouco mais de uma semana depois, no Yom Kippur, o “Dia do Perdão”.

Os primeiros dez dias do ano judaico, desde o começo do Rosh Hashaná até ao final do Yom Kippur, são conhecidos como Aseret Yemei Teshuvá (Dez Dias de Arrependimento). Devem ser dedicados ao exame das próprias ações, ao reconhecimento dos erros cometidos e à prática de Teshuvá (“Arrependimento” ou “Retorno”). Isso significa que, por muito que tenhamos errado, por muito que tenhamos nos afastado, nos é oferecida a oportunidade do arrependimento e do retorno. Mas cabe a Deus o julgamento e o perdão.

Maimônides, rabino, médico e filosofo judeu, afirma que, embora o arrependimento e o clamor a Deus possam ser feitos a qualquer momento, eles são especialmente efetivos nos 10 dias entre o Rosha Hashaná e o Yom Kippur.

Um brinde à Vida

No jantar de Rosh Hashaná , a família se reúne, e a cerimônia se inicia com a Benção do Vinho.

Recordo-me, desde a mais longínqua infância, como meu pai segurava a taça de vinho e, ao lado de minha querida mãe, pronunciava essa Benção, com a maestria e destreza de um verdadeiro patriarca. Todos se postavam eretos e em silêncio, absorvendo aquelas santificadas palavras pronunciadas pelo meu pai, do fundo da sua alma e com o coração aberto. Enquanto ele falava, nossos corações palpitavam acompanhando o ritmo da prece. No fim da Benção, meu pai beijava minha mãe e, com um olhar profundo e penetrante, mirava todos e dizia: Le Haim, expressão hebraica que significa “A Vida”. E assim todos brindavam com suas taças e se abraçavam, comemorando “A Vida”.

O mundo girou, a fila andou, e agora eu assumo o papel de Rosh, (“Cabeça”) de nossa querida família. Neste Rosh Hashaná, procurarei imitar meu pai e levantar a taça para todos. Tarefa difícil. Porém, mesmo sem a presença física de meus queridos pais, tenho a certeza que espiritualmente eles lá estarão, como sempre estiveram, pronunciando Le Haim.

Na minha profissão , que exerço com muita honra e prazer, todos os dias brindamos “A Vida”. Todos os dias pronunciamos Le Haim aos que necessitam de ajuda para aliviar seu sofrimento físico ou emocional. Lutamos pela vida, em vida. E, em todos os momentos, mesmo introspectivamente, pronunciamos as palavras Le Haim. Pois este é o bem maior que recebemos e lutamos para preservar, o bem que nivela todas as pessoas, independentemente de sua crença, etnia ou classe social. Todas as religiões e crenças enaltecem essa dádiva maior e divina que é “A Vida”.

Aprendi e senti na própria pele, nestes longos anos, tratando de pacientes graves, o quanto é importante e fundamental ter o privilégio de poder dizer: eu tenho saúde, eu vivo, Le Haim.

De todos para todos

Por maiores que sejam as vicissitudes e irracionalidades do mundo contemporâneo, existe certa tendência de ecumenismo nas pessoas das mais diferentes religiões. Nesta essa época, recebo, praticamente todos os dias, cumprimentos de amigos e clientes: Shana Tová doutor, Feliz Ano para toda a sua família. Da mesma forma, retribuímos, nas datas propícias, votos de felicidades para os amigos e clientes: cristãos, budistas, muçulmanos , e tantos outros.

Com palavras diferentes, transmitimos uma só manifestação de sentimento a todos: “A Vida”. A comemoração e celebração que todos almejam e desejam para si e para os seus entes mais queridos.

Vamos, então, todos, independentemente de origem e crença, comemorar mais um novo ano, lembrando a frase milenar da tradição judaica, dizendo Shana Tová ticatevu vê tihatemu (”Feliz ano novo e que sejamos inscritos no livro da vida”).

Eu e minha família, desejamos a todos um Shana Tová muito doce, repleto de alegria e felicidades.

E, celebrando a Vida, levantamos nossas taças de vinho brindando: Le Haim.

Elias Knobel e família
 
#Compartilhar

Comentários   

 
0 #1 Paulo Gabriel 08-10-2017 16:03
Estava curioso se você alguma vez pensado mudando o estrutura de seu blog ?
Sua muito bem escrita; Eu amo o que você tem a dizer.
Mas talvez você possa um pouco mais no caminho de conteúdo para que as pessoas podem
se conectar com ele melhor. Youve tenho uma enorme quantidade
de texto por só ter 1 ou dois fotos. Talvez você poderia espaço é melhor?
Citar
 

Adicionar comentário

Se o seu comentário for considerado de forma ofensiva ou fora da política do website ele irá ser excluído.


Código de segurança
Atualizar