1. Despertar nas igrejas o amor pelos judeus;
  2. Levar as igrejas a interceder pela salvação do povo israelita;
  3. Fomentar atividades diversas em favor do progresso espiritual dos judeus;
  4. Ajudar a fortalecer o verdadeiro judaísmo-messiânico;
  5. Servir de elo entre as igrejas gentílicas e as congregações judaico-messiânicas;
  6. Alertar as igrejas quanto a desvios dentro desse contexto;
  7. Mostrar a importância de Israel no cumprimento das profecias bíblicas.

O que Cremos a Respeito de Israel

  1. O termo bíblico “Israel” e correlatos, tanto no AT quanto no NT, é literal, referindo-se ao Israel étnico, descendência física de Abraão, através de seu filho Isaque (Gn 12.2; Rm 9.3,4; Fp 3.5)
  2. A aliança de Deus com Abraão no que se refere à sua descendência é incondicional e portanto Israel não pode deixar de existir (Gn 17.7; Dt 7.6-8; Jr 31.35-40; 33.25,26; Sl 89.28-34; Rm 11.28,29)
  3. Não houve nenhuma rejeição definitiva por parte de Deus com relação ao povo de Israel (Rm 11.11)
  4. A terra de Israel é possessão perpétua da descendência de Abraão conforme a aliança incondicional firmada (Gn 15.18-21; 17.7,8; Dt 9.4-6; Rm 11.29)
  5. A conservação dos judeus através dos séculos de dispersão e perseguição foi conseqüência da fidelidade divina (Is 43.1-4)
  6. O retorno dos judeus à sua terra é o cumprimento das profecias do AT (Is 43.5,6; 37.24)
  7. A atual nação de Israel não é resultado de meras convergências históricas, mas parte do plano divino para a descendência de Israel e para o mundo (Is 66.8; Am 9.13,14)
  8. Israel é um povo singular entre as demais nações (Dt 33.29; 26.18)
  9. Ainda existem muitas profecias a serem cumpridas com respeito às promessas de Deus à nação de Israel (Ez 37 – 40; Mt 5.17; At 1.6,7)
  10. O endurecimento dos judeus com relação a Jesus é parcial temporário (Mt 23.39; Rm 11.25)
  11. Atitudes positivas com relação a Israel resultam em bênção também para a Igreja (Gn 12.3)
  12. É dever de todo cristão orar pela salvação dos judeus (Rm 10.1; )
  13. É dever dos cristãos ajudar os judeus em suas necessidades (Rm 15.25-27)
  14. Haverá uma conversão nacional de Israel, isto é, todo o Israel será salvo (Zc 12.10; Rm 11.25,26)
  15. O judaísmo-messiânico é uma expressão verdadeira e válida da fé evangélica e não um tipo de legalismo evangélico (Gl 2.7-9; At 21.20)
  16. Israel terá um papel preponderante entre as nações no futuro (Zc 8.23; Rm 11.12,15,24; Ap 7.1-8)
 
Nossas crenças com relação a Israel são sustentadas pela autoridade da Palavra de Deus, não fundamentadas em pontos de vista políticos ou de outra natureza (Is 8.20; 34.16)
#Compartilhar